A segurança eletrônica pode superar os recursos humanos?

Tempo de leitura: 3 minutos

A segurança eletrônica vem ocupando um espaço cada vez relevante no mercado. Complementando as tarefas que as pessoas são capazes de cumprir, dando mais garantia à qualidade dos sistemas ou muitas vezes substituindo totalmente os recursos humanos, a tecnologia pode oferecer benefícios concretos, tanto pelo ponto de vista econômico quanto pela efetividade dos processos.

Para esclarecer o assunto, vamos abordar os aspectos nos quais a tecnologia supera os recursos humanos. Confira!

Os recursos humanos são instáveis

Antes de tudo é preciso considerar que a segurança ideal deve ser mantida ininterruptamente, durante as 24 horas do dia, pelos 7 dias da semana e ao longo dos 365 dias do ano. Considerando que as pessoas têm necessidades diversas — de se alimentar, de usar o banheiro e de descansar, por exemplo — é fácil entender como elas podem interferir na qualidade de um sistema de segurança baseado somente nos recursos humanos.

Além disso, muitas vezes as pessoas são suscetíveis às distrações — que podem vir com uma conversa ou com o uso do celular —, o que também interfere na qualidade de um sistema humano de segurança.

Também vale destacar que pessoas têm problemas pessoais e de saúde, que podem ocasionar faltas ou interrupções de tarefas. Esses também são fatores preocupantes nos processos que exigem permanência e confiabilidade.

Portanto, é notório que os recursos humanos são naturalmente instáveis, o que cria um grave inconveniente para os sistemas de segurança.

A segurança eletrônica é permanente e confiável

Os sistemas eletrônicos, por sua vez, são projetados para funcionar sem falhas. Caso falte energia elétrica da distribuidora para alimentar os equipamentos, por exemplo, um conjunto de baterias pode entrar em ação, permitindo que todas as funções permaneçam ativas.

Ao mesmo tempo, para prevenir defeitos são realizadas manutenções constantes, e quando existe uma necessidade maior de continuidade no funcionamento do sistema, são instalados dispositivos duplicados. Assim, se por qualquer motivo um deles vier a falhar, o outro garante que a instalação permanecerá operante, sem interrupções.

O custo da mão de obra é alto

Outro ponto a ser considerado é o elevado custo da mão de obra na segurança. Para contratar um funcionário, além dos salários também é preciso arcar com os encargos trabalhistas e com outras despesas — como seguros, vale-transporte etc. —, que representam cerca de 50% a mais do custo salarial.

Portanto, um porteiro ou um vigilante que recebe R$ 1,2 mil de salário por mês, custará de fato para o empregador R$ 1,8 mil.

Ao mesmo tempo, de acordo com a CLT, cada funcionário só pode cumprir 44 horas semanais na atividade para a qual foi contratado. Considerando que uma semana tem 168 horas, seriam necessários quatro funcionários para cumprir uma mesma função de vigilância durante as 24 horas do dia, nos 7 dias da semana.

Levando em conta a necessidade de cobrir os feriados, as férias e as eventuais faltas, vamos considerar a contratação de pelo menos mais um funcionário, o que elevaria o quadro para 5 empregados. Ao custo de R$1,8 mil por funcionário, teríamos um valor total mensal de R$ 9 mil.

A segurança eletrônica é mais barata

A implantação de um sistema de segurança eletrônica pode exigir um aporte financeiro significativo em um curto espaço de tempo. Contudo, esse aporte será facilmente compensado pelos salários que não precisarão ser pagos.

Quando os porteiros físicos de um condomínio são substituídos por uma portaria remota, por exemplo, a economia com os salários é suficiente para cobrir o custo de implantação, o que ocorre após um tempo relativamente curto. Em seguida, essa mesma economia pode ser revertida em benefícios para os condôminos, o que pode vir, inclusive, com a redução da taxa condominial.

Isso significa que a segurança eletrônica permite aumentar a eficiência dos sistemas, ao mesmo tempo em que favorece a economia.

Agora que você já entendeu como a segurança eletrônica pode superar os recursos humanos, baixe o nosso guia e fique por dentro de informações importantes sobre a portaria remota!

Sobre Pedro

Pedro é um entusiasta em busca da melhoria na qualidade de vida em condomínios! Adora estar antenado no dia a dia e adora compartilhar com os leitores suas experiências.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *